Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem não conhecia, saiam enquanto é tempo...Para quem já conheceu, puxem duma cadeira...Vem aí a versão 2.0...

ACAPOR strikes again...

Era uma vez uma associação chamada ACAPOR (que é sigla para os defensores dos clubes de vídeo). A ACAPOR tem um presidente. E o Sr. presidente tem andado muito ocupado. De uns meses para cá acompanho com alguma curiosidade todas as denúncias que o senhor faz no DIAP acerca de sites de partilhas de ficheiros, sejam eles P2P ou outros.

Let's rewind a little bit...

Tinha eu 14 anos quando trabalhei num clube de vídeo. O auge, digamos assim. Muita cassete VHS rebobinei eu naquela espelunca. Portanto, estamos a falar de 21 anos atrás. Admito que julgava que os clubes de vídeo estavam extintos, um pouco como a líbido do Cláudio Ramos. É que vai para mais de 10 anos que não ponho a vista em cima de um destes estabelecimentos.

Ora, o presidente da ACAPOR de uns meses para cá declarou guerra aberta a tudo quando é site na internet. Tem vídeos do Panda Vai à Escola? Denúncia. Tem música de artistas portugueses? Denúncia. Tem pornografia underground com a assinatura do Sá Leão a envolver anões, funcionárias da segurança social e meia dúzia de novilhos? Denúncia.

Agora coloco eu uma questão. Estará para breve uma denúncia ao DIAP a respeito do Youtube também? E do DailyMotion? E porque não também da ZON e do MEO (visto que ambos fornecem o aluguer de filmes)?

E já agora, se eu convidar uns amigos para beber umas jolas cá em casa e ver uma maratona de "Velocidade Furiosa", também sou alvo de denúncia por "partilhar" com meia dúzia de homens alcoolizados uns filmes catitas?

Este senhor é ridículo. O que ele defende é ridículo. Porque a sua associação é ridícula.

A grande maioria dos artistas portugueses é apologista da partilha das suas obras (ou parte delas). Muitas vezes, é essa partilha em primeira mão que leva as pessoas a comprarem a obra completa. Sejam músicos, escritores ou produtores compulsivos de pornografia classe C.

A ACAPOR está em crer que o encerramento destes sites de partilha é o primeiro passo para levar as pessoas de volta aos clubes de vídeo. Wrong. No meu caso, seria a mesma coisa que redescobrir a perda da virgindade. Been there, done that. A ACAPOR está moribunda. É um pouco como injectar vida num animal que já está morto. Nothing new. O senhor pode fazer as denúncias que entender. Aposto o meu testículo direito (como sou canhoto, tenho um certo receio de apostar os meus membros esquerdinos, nunca se sabe...) que por cada site que a ACAPOR consiga encerrar, outros 10 surgirão. E não é preciso ser um cientista nuclear para chegar a essa conclusão.

Vida saudável, my ass...

Existe uma sensação que nos invade o ser ao ir correr para a praia pelas 7:30h.

Sono...

Ok, também existe a tranquilidade que a proximidade com o mar proporciona e também a necessidade de perder 3kg devido a todas as porcarias que andei a comer ultimamente.

Fiz 5km a um ritmo razoável. Uns meses atrás faria isto com uma perna às costas sem qualquer grau de dificuldade. Hoje acabei com a sensação que andei a fugir da polícia desde a manifestação dos camionistas na 25 de Abril em 94. Completamente arrasado. Tenho músculos no corpo a contorcerem-se de dor que desconhecia sequer a sua existência. Os que conhecia infelizmente também não estão melhores.

Amanhã é outro dia. E se bem conheço o meu corpo, amanhã nem me consigo levantar...

Quando julgamos que nada mais na nossa família nos é capaz de surpreender...

...eis que eles levam à letra a americana expressão "kick it up a notch".

Deixem-me tentar contextualizar a questão.

Homem viúvo.

Demasiado tempo nas mãos.

Potencial carência afectiva.

E agora eis a outra parte da questão. Deixem-me tentar criar uma descrição viável.

Maria José Valério na parte capilar.

Betty Grafstein na parte mumificada.

Teresa Guilherme na parte oral de "porra, que esta gaja não se cala. Onde é que eu deixei o taco de baseball?".

Marta Leite Castro na parte de cadastro masculino. A mulher tem uma lista de maridos mortos maior que o nº de livros de culinária do Chefe Silva.

Está tudo louco, só pode. E eu tenho que os aturar. Mas o que é que querem de mim, a minha benção? Mas eu tenho ar de padre? Poupem-me...Já tenho cabelos brancos que cheguem...

Em busca de carro novo

Pois, assim a modos que ando à procura de chasso novo.

A oferta é muita, o dinheiro é pouco e o tempo é escasso.

Embora não seja picuinhas, há pequenos aspectos dos quais não abdico num veículo novo...

- Bancos de trás com cerca de 300 metros quadrados para quaisquer possíveis concertos da banda filarmónica de Lisboa que possam ali ocorrer (ou jogos de futsal, fica à vossa imaginação).

- Bagageira razoavelmente grande em que caiba um qualquer mafioso americano com obesidade mórbida morto. Nunca se sabe quando irei a Las Vegas (claro que o facto de Las Vegas ficar no estado do Nevada, que por sua vez fica nos Estados Unidos, que por sua vez fica em outro continente, que por sua vez não tem acesso terrestre...é apenas um pormenor. Seria mais fácil chegar lá e ligar para a Hertz mas eu sou um gato maluco...)

- Volante. Por nenhuma razão em especial. Simplesmente gosto de carros com volante.

- Pneus. De preferência cinco. Quatro para andar, um para mandar aos cornos de um qualquer coitado que me apanhe naqueles dias de maior fluxo e sem cafeína na corrente sanguínea.

Tenho a certeza que um carro deve ter mais uma série de coisas (ouvi vagamente algo o outro dia sobre travões e gasóleo mas estava distraído a olhar para os seios da menina do café) importantes mas de momento não me ocorrem.

O que me recomendam?

Caixa de fósforos, utilitário, limousine, jeep, tanque de assalto? Aceito sugestões...

Psicologia de mesa de café versão Gato Pardo

Café ao pé de casa.

Amigo de longa data com sérios traumas literários.

- Diz-me uma coisa. Não te incomoda serem sempre os mesmos blogs a serem destacados pelo SAPO? - perguntou ele.

- Hum, sério? Isso acontece mesmo? Epá, não estou particularmente atento. Sabes, entre o fumegar do café e o fumo do tabaco não consigo ver bem o ecrã. Mas já agora, porque raio é que isso te incomoda? - questionei.

- Incomoda porque tenho a sensação que por muito que me esforce, nada do que escrevo é bom o suficiente...

- Bem, julgo que a nossa amizade de alguns anos permite este seguinte comentário que vou proferir. Vai-te f*der... - disse eu enquanto levava o cigarro à boca.

- Vou-me f*der??? Mas que raio de comentário é esse? - perguntou.

- É o comentário adequado a essa questão. Mas será possível que após 2 divórcios, 4 carros estampados e o enterro do teu peixinho dourado, ainda não aprendeste nada sobre a vida? A sério, tu escreves a pensar naquilo que as pessoas esperam ler? F*da-se, tornaste-te uma verdadeira Margarida Rebelo Pinto de barba por fazer e com problemas de transpiração.

- Espera, estás a dizer então que eu devo escrever o oposto daquilo que as pessoas esperam ler? - questionou...

- F*da-se...Vamos esquecer por momentos que não existem mais seres pensantes nesta terra e que a tua sanidade mental depende da escrita. O que é que fazias?

- Escrevia para mim...

- Bingo...Irias escrever para ti, sobre o que tu querias, o que tinhas prazer em escrever. Isto obviamente se o facto de seres o único ser pensante ao cimo da terra não fosse devido a um Holocausto nuclear ou coisa que o valha. Nesse caso, devias escrever o teu obituário... Dás demasiada importância às outras pessoas. E dás demasiada importância aos blogs destacados. Preocupa-te menos com isso senão vais acabar velho, senil, careca e com a auto estima de uma lata de sardinhas em molho de tomate de marca branca... Isso ou uma Pipoca. Venha o diabo e escolha...

Chuveiro

Nada neste mundo é feito para durar eternamente.

A paciência, a temperatura ideal do café, uma erecção ou até mesmo artigos de casa de banho. Curiosamente e against all odds hoje vou escrever sobre artigos de casa de banho.

Existe o mito que todos os homens são uns mestres da bricolage. Talvez. Mas eu como sou gato, não pesco um c*ralho destas coisas. Da última vez que peguei num Black & Decker consegui tornar a tentativa de fazer um buraco relativamente pequeno na estação de metro do Chiado por isso...

De uns tempos para cá, notava que o meu chuveiro assemelhava-se a um homem na crise de meia idade. Já não dava rendimento. Parecia um doente terminal com retenção de líquidos. Por isso decidi fazer-lhe um funeral digno e sair com a missão de comprar um novo chuveiro.

Lá fui eu a uma loja da especialidade e tenho a dizer o seguinte... F*CK!!!

Primeiro, passei pelas cabines completas. Milhentos e não sei quantos € por uma coisa que supostamente é para tomar banho? Mas então é isto que é a "chuva dourada"? Porra, por este preço é bom que seja revestida a diamantes de 24 quilates. Depois pelos chuveiros em si. Umas boas centenas de € por algo que...É PARA TOMAR BANHO, PÁ!!! NÃO É UM AUTOCLISMO CUJA DESCARGA È MOËT CHANDON!!! Acabei a minha vistoria nas cabeças de chuveiro. Pensei para mim "bem, na realidade o que preciso mesmo é só da peça, o resto está funcional"...

Dirigi-me à menina e perguntei...

- Desculpe, seria possível ver cabeças de chuveiro?

Imediatamente pensei que estas palavras soavam mais a uma pergunta colocada numa sex shop sobre vibradores coloridos de 1.9 TDI de cilindrada com nitrogénio para aquelas noites mais animadas do universo feminino.

Acabei por comprar uma peça digna de um qualquer instrumento de tortura de um livro de Stephen King. Sério. Só falta quando estiver a tomar banho ouvir na rádio a música do "Psico" (filme que curiosamente tive hoje nas minhas mãos). 

A boa notícia é que já tenho novamente chuveiro. A má notícia é que acabou o gás. F*CK!

Uma caixinha catita que permite pesquisar as entranhas dos últimos anos de posts. Muito útil, principalmente porque nem eu já me lembro de metade do que escrevi...

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Licença

Licença Creative Commons
Este obra para além de estar razoavelmente bem escrita (se assim não fosse, não havia tanta gente a plagiá-la), está também licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D